Tinder processado por cobrar mais de usuários mais velhos

sukita

Uma vez recebi convite pra participar de um programa da MTV. Uma produtora me ligou, de cara perguntou quantos anos eu tinha. Respondi acho que 38, na época (tem tempo). Ela ficou em silêncio, então respondeu “Olha, desculpa, não vai rolar, a gente não sabia que você era tão velho”.

Eu pedi desculpas, desligamos. Consegui segurar o riso, mal sabia ela que meu encontro com a velhice a morte e a decrepitude foi aos quinze anos, em uma festa junina onde um garotinho chegou pra comprar algo na barraca onde eu trabalhava e me chamou de tio.

Outras pessoas têm mais dificuldade em aceitar a passagem do tempo, tentam se enturmar com os mais jovens, mesmo sendo cada vez mais difícil dar uma idéia no broto pra ir até a garçoniere ouvir uns long plays no Hi-Fi.

A saída é a Porta dos Desesperados, o Tinder e similares, e isso cria muito ruído para a galera jovem descolada e sem traquejo social, que depende de apps pra comer gente. A saída, é a mais canalha de todas: o Tinder tem um serviço pago, mas criou uma segmentação etária cruel.

Eles tinham planos de US$ 9,99 e US$ 14,99 para a turma 9vinha, mas usuários acima de 30 anos teriam que pagar US$ 19,99; uma forma bem clara de dizer “Cai fora, vovô”.

Foi movida uma ação coletiva contra o serviço. Inicialmente um juiz não aceitou a ação, mas a promotoria apelou e o juiz de apelação não gostou da justificativa do Tinder.

Eles disseram que os usuários mais jovens querem usar o Tinder Plus mas são mais pobres, então o preço mais caro pros coroas é uma forma de subsídio. Esse discurso meio comunista não agradou o juiz, que lembrou que é perfeitamente possível que usuários mais velhos tenham condições financeiras piores que usuários mais novos.

Agora a ação terá prosseguimento, tomara que o Tinder perca uma boa grana e o mundo volte ao seu eixo, com o círculo da vida onde os coroas prafrentex tomam toco das gatinhas e a vida segue.

Fonte: Newsweek.

Relacionados: , , ,

Artigo Original

Deixe uma resposta