Samsung pode anunciar telas falantes na CES 2019

Nós já temos o notch bizarro chegando em alguns modelos da Samsung (quem diria!), a Samsung abandonando o conector para fones de ouvido (até você, Samsung?) e agora o mundo dos rumores aponta para um aparelho que consegue emitir som a partir de uma tela OLED, ou Super AMOLED com a fabricante da Coréia do Sul.

A ideia parece meio desnecessária, mas pode ser uma das formas pra Samsung chutar pra longe o notch que ela ~ainda~ não tem em seus aparelhos. A tecnologia utilizada não é relativamente nova e funciona com vibrações na tela, que emitem o som. A Xiaomi já fez isso com alguns aparelhos e o resultado é bem ruim – qualidade baixíssima do som e todo o elevador escutando sua conversa.

Eliminando o alto-falante de cima, o caminho pra espremer outros sensores fica livre e o notch pode ser bem menor – ou nem existir, se o buraco que a Samsung já apresentou no passado virar o espaço pra câmera frontal. Buraco…aquilo é uma verruga!

Outro problema é que com a vibração, você perde por completo o grave – ele pode ficar a cargo de uma caixa tradicional, deixando a tela somente para a “segunda caixa”, que pode fazer o estéreo – novamente, de baixa qualidade.

Eu já utilizei uma TV da Sony que tem este recurso e é bastante interessante ter a sensação de que o som sai da boca do personagem na tela, mas isso faz sentido pra um display de 60 e tantas polegadas, não 10 vezes menos que isso.

Quem veio com este rumor é o Electronic Times, que tem idioma coreano e cita fontes da indústria e que gostam de falar mais do que deveriam – os acionistas das empresas gostam ainda mais disso.

Meu palpite é que a tal tela falante não será apresentada com o Galaxy S10, que deve nascer em fevereiro do ano que vem, na MWC da lindíssima e fria (nessa época do ano) Barcelona. Se eu fosse chutar, pensaria num “S11” ou então no próximo Galaxy Note – com uma ressalva ainda maior, já que vibração de tela e caneta S Pen podem não conversar em harmonia.

Meu chute, de verdade, é que a Samsung vai utilizar isso em uma TV e não em um smartphone. Ou então em um notebook.

Com informações: BGR.

Blog Fonte

Deixe uma resposta