O que muda do Apple Watch Series 3 para o Series 4?

Claro que opiniões variam bastante, mas há um certo consenso, nos comentários iniciais sobre os lançamentos de hoje, que o Apple Watch Series 4 agradou bem mais em termos de novidades que os iPhones Xr, Xs e Xs Max.

Não é por menos: sem dúvida nenhuma, o salto do Series 3 para o 4 foi o maior já realizado pela Apple no seu relógio, desde a primeira geração. Nos parágrafos a seguir, você saberá tudo o que mudou entre eles.

Apple Watch Series 4 de aço inoxidável dourado

Se você olhar de relance, achará que o design do Apple Watch não mudou. A base é realmente a mesma, porém:

  • As caixas passam de 38mm e 42mm para 40mm e 44mm, respectivamente (mas, felizmente, as pulseiras atuais todas continuam compatíveis);
  • A espessura foi reduzida de 11,4mm para 10,7mm;
  • O microfone foi movido do lado esquerdo para o direito, entre a Digital Crown e o botão inferior (para uma melhor captação de voz);
  • Com o reposicionamento do microfone, os alto-falantes ocupam uma área maior da lateral esquerda e são, segundo a Apple, 50% mais potentes;
  • A Digital Crown (agora com feedback háptico) não é mais toda pintada de vermelho nas versões com Cellular, trazendo agora uma circunferência vermelha — que, por sinal, também existe nos modelos só com GPS mas é preta;
  • A traseira mudou um tantinho, já que traz a segunda geração de sensores ópticos junto ao novo sensor baseado em eletrodos para o ECG (falarei mais disso adiante), e é agora de cerâmica com cristal safira em todas as versões;
  • A partir de agora, só temos acabamentos em alumínio ou aço inoxidável (incluindo uma nova versão dourada) pois a Apple matou o Watch Edition, de cerâmica.

Obviamente, nem tudo é estética. Com o aumento das caixas, tivemos também um aumento considerável nos tamanhos das telas em si, que agora chegam próximas às bordas do relógio. Passamos de 563mm² para 759mm² no modelo menor, e de 740mm² para 977mm² no maior. Observem um detalhe: a do Series 4 de 40mm é maior do que a do Series 3 de 42mm.

Comparativo de caixas dos Apple Watches

Graças a essas telas maiores (35% a mais na versão menor, 32% a mais na maior), a Apple conseguiu criar novos mostradores exclusivos para o Watch Series 4, bem como adicionar mais complicações a fim de aproveitar o espaço extra. Há, também, novas animações e efeitos na interface que exploram o fato de a tela ir agora próximo das bordas da caixa.

Internamente, passamos de um chip S3 dual-core para um S4 dual-core que agora é de 64 bits — segundo a Apple, até 2x mais rápido — e ganhamos também um novo chip wireless W3, bem como Bluetooth 5.0. Ele também vem com acelerômetro e giroscópio aprimorados que, juntos, agora permitem ao relógio detectar quando uma pessoa cai (tropeça, escorrega, desmaia…) e pode chamar o número de emergência automaticamente. Além disso, todos os modelos têm agora 16GB de capacidade interna (antes, os modelos com GPS tinham apenas 8GB).

Os novos sensores traseiros melhoraram e possibilitaram novos monitoramentos cardíacos, em especial um eletrocardiograma (ECG). Essa novidade, contudo, não estará disponível de imediato e só chegará inicialmente aos Estados Unidos, visto que depende de aprovações regulamentares de órgãos de saúde — e, por ora, a Apple só recebeu aval da Food and Drug Administration (FDA) americana. No Brasil, o Apple Watch Series 4 terá que futuramente ser avaliado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

ECG no Apple Watch Series 4

E aí, quem aí ficou animado pelo Apple Watch Series 4?

Visto Primeiro Aqui

Deixe uma resposta